NOTÍCIAS

Lauro Reus intensifica sistema de classificação de risco

Por Assessoria de Comunicação

24 de dezembro de 2021
Hospital de Campo Bom trabalha para diminuir o tempo de espera dos pacientes na instituição

O Hospital Lauro Reus, de Campo Bom, está intensificando o uso do sistema de classificação de risco por cores, já aplicado na instituição, como forma de agilizar o trabalho ao mesmo tempo em que se priorizam situações mais graves. É que nesse modelo, a ordem de atendimentos é definida de acordo com a gravidade do problema do paciente e não pela ordem de chegada.

 

Hoje, são atendidas aproximadamente três mil pessoas ao mês, Pelos estudos realizados internamente, contata-se que mais de 70% dos casos poderiam ser resolvidos em postos de saúde. Como no Pronto Atendimento da Rua Rudolfo Dick, 107. O local foi reformado recentemente, estando disponível à população do município.

 

De acordo com Ricardo Pigatto, diretor executivo da Associação Beneficente São Miguel (ABSM) – instituição responsável pela gestão do Lauro Reus – a classificação de risco facilita o estabelecimento de articulações com os demais serviços na cidade para garantir a eficácia do atendimento aos pacientes.

 

Na semana passada, a diretoria da ABSM apresentou na Câmara de Vereadores de Campo Bom o funcionamento desse sistema e propôs a realização de ações com o poder público para divulgar junto à população.

 

SAIBA MAIS SOBRE O SISTEMA

Os atendimentos serão realizados de acordo com a ordem de urgências e seu tempo de classificação.

 

EMERGÊNCIA

O paciente necessita de atendimento imediato. Neste caso, existe risco de morte. Atendimento imediato.

 

URGÊNCIA

O paciente necessita de atendimento rápido, mas pode aguardar o atendimento de casos mais graves. Atendimento em até 60 minutos.

 

POUCO URGENTE

É o caso menos grave, mas deve aguardar o atendimento médico. Atendimento em até 120 minutos. Esta consulta poderia ser realizada no posto de saúde.

 

NÃO URGENTE

Se você foi classificado azul, pode aguardar o atendimento ou procurar um posto de saúde de sua área. Atendimento em até 240 minutos. *Esta consulta poderia ser realizada no posto de saúde.

 

 

VOCÊ SABIA?

O sistema de cores tem como objetivos descongestionar a área de emergência, diminuir o tempo para atendimento médico e fazer o atendimento precocemente de acordo com a gravidade do problema. Como adicional, a ABSM, em parceria com a prefeitura de Campo Bom, está viabilizando o modernização do Pronto Atendimento para aumentar a eficácia da assistência.

 

Sistema possibilita o atendimento precoce

Neste formato de classificação, o que é considerado mais importante é o potencial de risco, os agravos à saúde e o grau de sofrimento do paciente, além de categorizar se há realmente a necessidade da pessoa esperar o atendimento no hospital no lugar de se dirigir até o um posto de saúde.

 

Na prática, a classificação se inicia com a avaliação do paciente logo na sua chegada ao pronto atendimento, em uma triagem feita por profissional da área de enfermagem. A partir daí, ocorre a distribuição das pulseirinhas considerando quatro categorias: Emergência (cor vermelha – atendimento imediato), Urgência (cor amarela – espera de até 1 hora), Pouco Urgente (cor verde – até 2 horas) e Não Urgente (azul – até 4 horas).

 

“Esse sistema implica prestar um atendimento com conhecimento, responsabilidade e resolutividade, orientando, quando for o caso, o paciente e a família em relação a outros serviços de saúde para a continuidade da assistência”, comenta Ricardo. Como exemplo, explica o diretor executivo, nas situações Pouco Urgente e Não Urgente, dependendo da quantidade de pessoas à espera no hospital, o paciente poderia ser atendimento mais rapidamente em um posto de saúde do município.

 

Apesar disso, ele observa que no Lauro Reus busca-se um atendimento de excelência e com foco na humanização e no carinho, independentemente do grau de urgência, monitorando continuamente o estado de saúde durante o período de espera e, conforme o caso, solucionando o problema o mais rápido possível.

 

Os objetivos da classificação são descongestionar a emergência, diminuir o tempo para atendimento médico, fazer o atendimento precocemente de acordo com a gravidade, informar os tempos de espera e promover ampla informação sobre o serviço.

 

Os treinamentos com as equipes do Hospital Lauro Reus sobre como aplicar essa classificação de risco por cores estão ocorrendo em dezembro e nas próximas semanas será instalada a comunicação visual para melhor entendimento por parte dos pacientes.

 

 

Pronto atendimento será modernizado

O Pronto Atendimento do Hospital Lauro Reus funciona 24 horas por dia e sete dias por semana. O serviço conta com médicos nas especialidades clínico, pediatra, cirurgião geral, traumatologista, obstetra e anestesista.

 

A ABSM, em parceria com a prefeitura de Campo Bom, está viabilizando o modernização da área para aumentar a eficácia do atendimento. “O projeto de um novo Pronto Atendimento é uma das metas do governo municipal, que vem sendo tratada com muita atenção por todos nós. A obra, prevista para o próximo ano, é considerada também uma necessidade para que a população possa ser atendida com mais conforto e em um espaço mais amplo e dinâmico”, destaca Ricardo Pigatto.

 

Ele observa que a ABSM apoia a iniciativa e se coloca à disposição para a realização deste sonho dos campobonenses. “Atualmente, o projeto encontra-se em fase de estudos técnicos e deve ser apresentado assim que encerrada essa fase estrutural”, informa.

 

Somado ao modernizado Pronto Atendimento, a ABSM vem implantando melhorias em áreas diversas e que devem ter continuidade em 2022. Entre esses serviços estão o Laboratório de Análises Clínicas, os setores de Oncologia e Diálise, a Maternidade – da sala de pré-parto ao berçário – e o Bloco Cirúrgico, com a instalação de novos leitos e a compra de estações de trabalho de anestesia, entre outros itens.

 

Além dessas melhorias, está ocorrendo a reestruturação da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), incluindo protocolos atualizados para receber pacientes pós-cirúrgicos e para reduzir o tempo de resolução. E ainda há a aquisição de equipamentos de alta tecnologia em exames de imagem, como é o exemplo da tomografia computadorizada.

 

Mas, reforça Ricardo, deve-se destacar a capacitação dos colaboradores para a realização de um atendimento humanizado, com carinho e cuidado, procurando dar todo o conforto possível aos pacientes e a seu familiares.

 

 

RETROSPECTIVA

Janeiro: houve reestruturação de espaços e equipes para atender às demandas da Covid-19. “Centenas de vidas foram salvas em nossos leitos e UTI”, destaca Ricardo.

 

Fevereiro: mês marcado pelas inúmeras campanhas de doação de sangue, tanto pelos colaboradores quanto pelos profissionais de saúde do HLR.

 

Março: campanhas solidárias de doação de insumos, EPIs, rouparia e calçados hospitalares marcaram a presença da comunidade junto ao hospital.

 

Abril e maio: meses em que as capacitações e treinamentos deram o tom nas áreas assistencial, médica e administrativa, qualificando os profissionais desde o acolhimento até à alta.

 

Junho e julho: projetos voltados aos cuidado e a valorização dos colaboradores e pacientes marcaram o período. Plantão Psicológico, Caixa de Punção, Segurança no Trabalho e o Projeto SAI, de atendimento direto ao usuário, foram destaques.

 

Agosto e setembro: marcaram estes meses as emendas parlamentares, os recursos do município e investimentos da ABSM, que viabilizaram melhorias em alas, aquisição de Tomógrafo, Raio-X móvel, camas modernas, laboratório, entre outras.

 

Outubro e novembro: neste período a atenção foi para o combate ao câncer de mama e próstata, com ações, vídeos e programas de consultas preventivas e diagnósticos para a população de Campo Bom e região.

 

Dezembro: além do trabalho de reavaliação do ano e projeções para 2022, o HLR se prepara para novas conquistas. Em uma mobilização em conjunto com a prefeitura de Campo Bom, estão previstas cirurgias eletivas de várias especialidades.

shares